quinta-feira, dezembro 15, 2005

poema de outono

O vento soprou
Tão doce e sereno
Tocou-me ao de leve
Girou sentimentos
Dormentes, silentes
Que em voo rasante
Tocaram o chão

O fundo da alma
Fez-se de cor de ouro
Castanho ou laranja
Deu frutos já secos
De um doce amargo
Surgiu o Outono
No meu coração.
Lique
Catedral

1 Comments:

Blogger ognid said...

Plagiado assim não me importo de ser :) obrigado. Um abraço.

quinta dez 15, 02:50:00 da tarde GMT  

Enviar um comentário

Actu(alizções)Plagiadissimo(desblog) blogaqui?