segunda-feira, janeiro 02, 2006

Dos amores - de paz e desespero

Dos amores - de paz e desespero-
Eu tenho que me inspiram noite e dia:
Meu anjo bom é um homem puro e vero;
O mau, uma mulher de tez sombria.

Para levar a tentação a cabo,
O feminino atrai meu anjo e vive
A querer tranformá-lo em diabo,
Tentando-lhe a pureza com a lascívia.

Se há de meu anjo corromper-se em demo
Suspeito apenas, sem dizer que seja;
Mas sendo ambos tão meus, e amigos, temo

Que o anjo no fogo já do outro esteja.
Nunca sabê-lo, embora desconfie,
Até que o meu anjo contagie.

William Shakespeare
Foto:Dominique Lefort

WebClub

1 Comments:

Blogger wind said...

Obrigada:) Por acaso este post foi um dos que me deu mais gozo fazer;) beijos

segunda jan 02, 11:25:00 da manhã GMT  

Enviar um comentário

Actu(alizções)Plagiadissimo(desblog) blogaqui?