sexta-feira, dezembro 23, 2005

Azul

RECEITA PARA FAZER O AZUL

Se quiseres fazer azul,
pega num pedaço de céu e mete-o numa panela grande,
que possas levar ao lume do horizonte;
depois mexe o azul com um resto de vermelho
da madrugada, até que ele se desfaça;
despeja tudo num bacio bem limpo,
para que nada reste das impurezas da tarde.
Por fim, peneira um resto de ouro da areia
do meio-dia, até que a cor pegue ao fundo de metal.
Se quiseres, para que as cores se não desprendam
com o tempo, deita no líquido um caroço de pêssego queimado.
Vê-lo-ás desfazer-se, sem deixar sinais de que alguma vez
ali o puseste; e nem o negro da cinza deixará um resto de ocre
na superfície dourada.
Podes, então, levantar a cor
até à altura dos olhos, e compará-la com o azul autêntico.
Ambas a s cores te parecerão semelhantes,
sem que possas distinguir entre uma e outra.
Assim o fiz – eu, Abraão ben Judá Ibn Haim,
iluminador de Loulé – e deixei a receita a quem quiser,
algum dia, imitar o céu.
Nuno Júdice

Pópulo

1 Comments:

Anonymous ml said...

Olá!
É óptimo quando um colega blogger deixa ficar um comentário porque é a maneira de conhecer alguns blogs que infelizmente passariam desapercebidos ( somos TANTOS ! ! ! que nunca se dá a volta à blogosfera ) E agora vou passar a fazer algumas visitinhas por aqui. Agradou-me o ambiente e as tuas escolhas.
E claro que fico lisongeada por ter merecido a referência - mas afinal eu é que sou a plagiadora, nem os versos são meus nem a imagem, eu só juntei uma coisa à outra.
Um abraço

sexta dez 23, 11:30:00 da tarde GMT  

Enviar um comentário

Actu(alizções)Plagiadissimo(desblog) blogaqui?